Contacto | Aviso legal english português magyar České deutsch

Pobreza Energética

Cozinhar em 1/3 do projeto

 

Sumário

Através da discussão das grandes diferenças tecnológicas utilizadas para cozinhar no Século XXI e da questão da acessibilidade à tecnologia, a instalação foca o tema da pobreza energética. Um olhar sobre os instrumentos utilizados para cozinhar pelas comunidades rurais ao redor do Mundo.

Em 2000, aquando da assinatura da Declaração do Milénio todos os países comprometeram-se a através da parceria global para o desenvolvimento a “Tornar acessíveis os benefícios das novas tecnologias (…)”de forma a erradicar a pobreza à escala global. Independentemente da enorme avanço tecnológico e conquistas à disposição de uma parte da população mundial, a verdade é que a grande maioria vive sem acesso a condições básicas, como o acesso à anergia, que garantam o seu pleno Desenvolvimento.

A energia é especialmente importante quando se trata de cozinhar. No entanto quase um terço da população mundial ainda cozinha com recurso à queima de biomassa, o que desencadeia problemas de saúde (principalmente para mulheres e crianças) e problemas ambientais, como a desflorestação.

Detalhes

  • A instalação mostra as ferramentas tradicionais de cozinha e pratos, que ainda são utilizados em muitas áreas pobres nos chamados Países em Desenvolvimento: Há um fogão artesanal para o carvão vegetal. um machado e outros instrumentos de corte utilizados para a auto-produção de combustível de madeira, um vaporizador e um pote que contêm água (utlizada para controlar o fogo). Para muitos visitantes, estes parecem ser objetos arqueológicos de, mas na verdade são objetivos com poucos anos e ainda utlizados em algumas locais do Mundo.
  • Junto destes artefactos foram ainda colocados painéis informativos sobre pobreza energética e sobre os riscos associados com o uso de combustíveis sólidos em fogo aberto na cozinha.
  • A instalação foi montada de forma a evidenciar semelhanças com uma exposição de artefactos antigos. Assim os visitantes são confrontados com o fato de não se tratarem de objetos antigos, mas de objetos ainda hoje utlizados. Evidencia o fosso tecnológico que ainda persiste, em que algumas regiões são expostos quase diariamente a inovações tecnológicas ao passo que outras regiões do Mundo não tem, qualquer acesso à inovação.
  • As quatro vitrines com os artefactos estão colocados ao lado dos cartazes gigantes de outra instalação Museo Mundial, "Planeta com Fome". Esta ligação permite aumentar a visibilidade dada a ambos os temas, uma vez que algumas das fotos expostas nessa ferramenta mostram fogões e potes muito semelhantes aos exibidos nas vitrines.
  • Os artefactos expostos foram emprestados de uma coleção particular. As informações contidas no poster apoiam pessoas e empresas que queiram dar uma resposta a pobreza energética através de parcerias para o desenvolvimento.
  • A instalação sensibiliza para o ODM1 – “Erradicar a pobreza extrema e da fome" e ODM 8 – Estabelecer uma Parceria Global para o Desenvolvimento".
Museo Mundial_CZ_Cooking_1
Museo Mundial_CZ_Cooking_2
Museo Mundial_CZ_Cooking_3

    Orçamento + recursos

    Orçamento necessário:

    Design e Grafismo

    375 €

    PP Família Checa

    134 €

    Pedestal

    279 €

    Tradução para Inglês

    96 €

    Aluguer das vitrines

    231 €

    Transporte e montagem da instalação

    654 €

    Total

    1769 €

    Passo a Passo

    1º Passo:

    A escolha do tema

    Encontrámos um proprietário de alguns artefactos utilizados para cozinhar numa aldeia Africana sem energia. Uma vez que correspondiam ao nosso objetivo parece-nos que seria uma boa ideia exibi-los em público. O proprietário é uma ONG na área do desenvolvimento, orientada para a transferência de tecnologia. Mostraram-se muito cooperantes e entusiastas com o projeto. Este processo demorou cerca de quatro semanas.

    2º Passo:

    Recolher informação

    Inicialmente recolhemos informação sobre o uso de tecnologias tradicionais. Fizemos algumas pesquisas, leitura e registos fotográficos e entrevistámos pessoas que visitaram essas aldeias. Simultaneamente pesquisámos sobre a situação energética dos Países em Desenvolvimento, com foco nas regiões onde não há energia, nem qualquer tipo de infraestrutura ou tecnologia moderna que possa ser adequada ou utilizada para cozinhar. Reunimos também informações sobre as ameaças para a saúde que advém da prática de cozinhar em um fogão de carvão, usados sem uma chaminé, o que é habitual em algumas regiões.

    Passo 3:

    Preparação da exposição e dos textos

    Após as pesquisas reunimos com o arquiteto e os peritos para perceber quais os passos a seguir para tornar a exposição mais impressionante. Decidimos fazê-lo de forma a aparentar ser uma exposição tradicional. Assim, num primeiro momento, os visitantes considerariam que a exposição seria sobre objetos tradicionais antigos, sendo que num segundo olhar e após a leitura dos textos iriam compreender que se tratavam de objetos recentes e reais, utilizados por famílias pobres para cozinharem em diversas regiões do Mundo.

    Passo 4:

    As vitrines

    Onde colocar estes objetos, de forma a conseguir transmitir a nossa ideia? A solução que se encontrou foram vitrines. Após várias pesquisas de mercado não conseguimos encontrar vitrines a um preço razoável. Finalmente encontramos a possibilidade de as alugar a um preço justo a um outro Museu de Praga. Este processo demorou cerca de quatro semanas.

    Passo 5:

    Visualização

    O quinto passo consistiu na redação e impressão dos textos da exposição, um processo que demorou cerca de duas semanas. Não foi necessário mais tempo, porque esta é uma temática já tratada à vários anos pela EDUCON.

    6º Passo:

    Implementação

    A implementação da instalação no Museu foi feita por uma empresa especializada, que também organizou a transferência das vitrines entre Museus.

     

    Avaliação

    Pontos positivos e negativos

    Positivos

    • A preparação desta instalação foi conduzida num espírito de cooperação, não só com o arquiteto que nos apoiou na sua elaboração, mas com todo o pessoal do Museu envolvido. 
    • A ligação desta instalação, a uma outra instalação “Planeta com Fome” também realizada no âmbito do projeto Museu Mundial funcionou muito bem.

    Negativos

    • O fosso entre as regiões mais pobres e ricas do mundo e o que significa viver em ambas as realidades poderiam ter sido mais enfatizado. Por exemplo, poderíamos ter instalado equipamentos modernos de cozinha, de forma a evidenciar visualmente as diferenças. 
    • Esta instalação também nos evidenciou um aspeto significativo nestes processos. De facto nos orçamentos não estão previstas verbas que contemplam a desinstalação da instalação. Neste caso, e como as vitrines são alugadas é necessário garantir o seu transporte para o local de origem. Este transporte será assegurado com a verba que acondicionámos para este fim.

    Comentário d@s visitantes

    Em análise

    Links da Internet + outras fontes

    Agência Internacional de Energia: Energia para cozinhar nos Países em Desenvolvimento

    www.iea.org/publications/freepublications/publication/cooking.pdf

    FAO: Health impacts of household fuelwood use in developing countries

    www.fao.org/docrep/009/a0789e/a0789e09.htm

    Newsweek: The Stoves Used by Millions in Developing Countries Are a Silent Killer

    www.newsweek.com/stoves-used-millions-developing-countries-are-silent-killer-285969

    Educon: Enquadramento do tópico

    www.educon.cz/en/?id=134-how-1-3-of-mankind-cooks

    NZM: Sítio web do Museu em Inglês

    www.nzm.cz/en/

    Este website é cofinanciado pela União Europeia e apoiado pelo Camões - ICL. Os conteúdos deste website são da exclusiva responsabilidade dos parceiros do projeto Museu Mundial e não podem, em caso algum, ser considerado como expressão das posições da União Europeia.


     EU