Contacto | Aviso legal english português České deutsch

Indústria Têxtil Global

Quem Costura as suas Roupas

 

Sumário

A primeira instalação do projeto Museu Mundial do Museu de História Natural de Nuremberga tem como objetivo abordar o tema da Indústria Têxtil global. A instalação em forma de um guarda-roupa foi colocada  na seção "África Ocidental" junto de uma vitrina que mostra a tecelagem tradicional feita à mão no Gana e alguns tecidos da etnia Kente.

A instalação procura sensibilizar os visitantes  para a dimensão global da indústria têxtil. Coloca questões como: Sabe de onde vem a sua roupa? Onde foi produzida, por quem e em que condições de trabalho?

Detalhes

A ferramenta inovadora fornece informação sobre a indústria têxtil mundial, abordando os diferentes sentidos dos visitantes:

  • O visitante pode tocar no algodão em flor e estudar a história do denominado "ouro branco".
  • Um quebra-cabeças em forma de um par de calças de ganga convida o visitante a adivinhar qual o preço que pagamos e quais os valores que correspondem às diferentes etapas de produção. Assim, vai sendo alertado acerca da distribuição desigual de custos de acordo com as diversas fases de produção na indústria têxtil.
  • Um álbum fotográfico chama a nossa atenção, por exemplo, para as precárias condições de trabalho existentes do sul da Índia, na China, no Bangladesh e no Camboja. O visitante pode ler estudos de caso e, assim, adquirir conhecimento sobre a exploração trabalhadores têxteis menores de idade em todo o mundo, aprender sobre os riscos para a saúde de trabalhar numa fábrica têxtil e aperceber-se dos danos ambientais produzidos ao utilizar produtos químicos na produção têxtil.
  • Além de oferecer a informação turística sobre o caminho percorrido por cada peça de roupa, as condições de trabalho e a desigualdade global dos salários, esta ferramenta também fornece propostas sobre como agir enquanto consumidor. Portanto, incluímos:
  • Informações sobre upcycling/reutilização como uma alternativa. O visitante pode levar um folheto que fornece endereços de lojas locais e lojas on-line especializadas em roupas upcycled/reutilizadas, bem como um manual de instruções que ensina como fazer o upcycle de uma camisa de homem transformado numa túnica. Alertar os visitantes em relação do upcycling como uma forma alternativa de consumo na vida cotidiana.
  • Informação sobre compras de roupa ecológicas e sobre as certificações ecológicas e comércio justo. Três t-shirts penduradas servem de exemplo para demonstrar os diferentes etiquetas ecológicas e de comércio justo e seu impacto positivo na indústria do vestuário. O visitante enquanto consumidor adquire a capacidade de tomar uma decisão informada sobre que produto têxtil quer consumir levando em conta as informações fornecidas pela ferramenta.
  • Esta ferramenta destina-se a lançar luz sobre Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, nomeadamente o ODM 1 "Erradicar a pobreza extrema e a fome" e o ODM 7 "Garantir a sustentabilidade ambiental". Explicando a cadeia de valor na produção têxtil destacando informação válida sobre a sustentabilidade ambiental e as questões relacionadas com uma vida digna para todos.
20140513aklein001
jeanspuzzle

    Orçamento + recursos

    Orçamento necessário:

    Construção do roupeiro

    1200 €

    Design e concepção da instalação

    800 €

    Impressão e grafismo

    150 €

    Edição da instalação

    60 €

    Uso da Fotografia

    150 €

    Livro de fotos/leitor

    40 €

    Livro de imagens / Impressão

    50 €

    T-shirt de comércio justo

    50 €

    T-shirt de comércio justo /impressão

    80 €

    Folhetos de Reutilização de roupas

    30 €

    Transporte do roupeiro

    150 €

    Flores de algodão

    disponíveis no Museu

    Total

    2860 €

    Passo a Passo

    1º Passo:

    Escolher objeto e tópico

    Escolher ao mesmo tempo o objeto e o tema que deseja trabalhar. A forma de cada instalação depende muito das especificidades do museu e das suas coleções, objetos. Objetos possíveis de conectar ao tema: roupas tradicionais, roupões de banho, máquinas de tecelagem, algodão, instrumentos para tingir tecidos, as plantas utilizadas para a coloração pano ...

    Preocupe-se em criar uma conexão compreensível e fácil dos objetos existentes.

    → Tente ficar o mais próximo possível do foco temático do objeto com o qual deseja trabalhar. Explore as ligações para a região, quem esteve envolvido na sua produção e utilize o mesmo estilo e tom usado para contar histórias sobre o objeto.

    Escolha um aspeto do tema, suficientemente complexo e bem definido. Quer oferecer uma visão geral sobre a indústria têxtil global? Gostaria de se concentrar numa determinada parte da história? Qual?

    → Uma vez que a indústria têxtil mundial é um tópico muito amplo e complexo, no qual nos podemos perder facilmente, recomendamos para se concentrar apenas num determinado aspeto. Pode, por exemplo, escolher as condições de trabalho nas fábricas têxteis, a história do algodão como o ouro branco, a distribuição desigual dos salários entre homens, mulheres e crianças, as alternativas como etiquetas ecológicos e justos ou upcycling...

    Tente desenvolver metodologias interessantes que podem ser utilizadas para a execução da ideia. Verifique quanto espaço está disponível no museu, que instalações técnicas o museu pode oferecer, que grupo alvo desejam abordar e qual a quantidade de dinheiro que podem investir.

    → Devemos iniciar um processo a uma escala pequena, começar devagar e com prudência. No processo de implementação novas ideias aparecem automaticamente, deve estar preparado para poupar algum dinheiro inicialmente, para investir mais tarde!

    2º Passo:

    Um primeiro esboço

    Projete um primeiro esboço da ideia, reunindo as suas ideias com as de seus parceiros e colegas de trabalho. Este projeto já deverá incluir um orçamento de modo a conseguirem avaliar a viabilidade da sua concretização. Deve incluir também um calendário de implementação. Sugerimos que possa escrever o que ficou definido e partilhe com todos os parceiros e colegas envolvidos na discussão.

    → Anote cada passo da produção e não se esqueça pequenos detalhes. Parece conveniente escrever apenas "produção de livro com fotografias: 50 €", mas tenha em atenção, muitas vezes, implica pagar a digitalização dos originais, um designer, direitos de autor, papel laminado e selos. A soma desses detalhes pode mostrar que este passo vai ser mais caro do que tinha previsto inicialmente (no nosso caso 130 €).

    Passo 3:

    As estimativas de custo

    Solicite estimativas de custo para cada etapa da produção da instalação. Tentar obter várias propostas de orçamento, que ser capaz de escolher a melhor oferta. Compare o total de estimativas de custo com o seu plano de orçamento e, se necessário, faça ajustes. Escolha os seus parceiros de trabalho cuidadosamente.

    Passo 4:

    Criar conteúdo

    Escreva o conteúdo para as placas de informação o objeto que escolheu. Pergunte aos seus parceiros e colegas para corrigir esta primeira versão, este é o momento certo para esclarecer mal-entendidos, pois ainda nos encontramos numa fase inicial.

    Escolha imagens, gráficos e vídeos que evidenciem o conteúdo. Verifique se existem direitos de autor que devem ser respeitados, normalmente pode usar-se estes recursos para fins educativos, como é o nosso caso. Haverá situações em que terá de pagar para usar este conteúdo.

    Planifique todos os componentes da instalação ou ferramenta que está a pensar fazer, construir. Faça uma maqueta, pode usar cartão, papel, LEGO ou algo similar. A visualização ajuda a resolver questões que podem surgir quando explica o que pretende fazer ao carpinteiro. Faça este exercício de maquete com uma escala correta e adequada, colocando o tamanho de cada componente da ferramenta em perspetiva.

    Passo 5:

    Primeiro esboço: explicar ao carpinteiro e ao designer

    Partilhar um primeiro esboço do nosso projeto com o carpinteiro, explicar o que queremos fazer, quais as dimensões, o local e a mancha de texto de imagens, de modo a que possa ser feito um desenho técnico. Transmitir a nossa ideia de projeto ao designer, assim pode começar com o layout geral.

    → Iniciar a comunicação com o carpinteiro e o designer o mais rapidamente possível, para haver tempo que permita o desenvolvimento de um conceito geral, quando mais cedo melhor.

    6º Passo:

    Finalizar o conceito

    Finalize o conceito, determine com o carpinteiro, tudo o que falta definir e confirme o texto, as imagens e os outros componentes que pensou. Peça aos seus parceiros para fazerem a revisão final. Se incluiu isso no seu orçamento pague ao leitor final. Envie conceito final para o designer.

    → Identificar os "extras” que podem vir a ser adicionadas depois. No nosso caso, estes eram: Um livro de fotos sobre as condições de trabalho precárias (Bangladesh, Índia, China, Camboja), três t-shirts com etiquetas ecológicos-justos (GOTS, TransFair, FairWear), a instalação sobre o “rótulo de lavagem” e panfletos contendo informações sobre upcycling . Veja as notas no passo 8, os "extras" podem esperar.

    7º Passo:

    Última correção

    Corrigir: Introduzir vários ciclos de correção profissionaliza o produto final. Solicite ao designer 2 - 3 etapas corretivas. Identifique os representantes do museu que precisam dar luz verde para o produto final. Tente manter o círculo pequeno para economizar tempo. Faça com que o processo de correção seja transparente para todos os intervenientes.

    Avaliação

    Pontos Positivos e Negativos

    Positivos

    • A instalação roupeiro/ guarda-roupa permite uma ligação entre a produção têxtil e o tema. Da experiência dos visitantes percebemos que esta ligaçãoq6yt7y resulta , percebemos que aumenta o nível de impacto. Uma instalação como esta têm várias componentes o que permite diferentes métodos didáticos possam ser explorados num mesmo local. Os diferentes níveis e áreas de observação existentes nesta instalação facilitam uma divisão de acordo com as diferentes idades do grupo alvo.

    Negativos

    • Desenvolver uma instalação tão complexa demora muito mais tempo do que previmos inicialmente.

    Lições aprendidas

    • Inclua no seu orçamento uma verba para os imprevistos. Durante a fase de implementação podem acontecer alterações que não haviam sido previstas. Durante a nossa, por exemplo, descobrimos que o desenho do quebra-cabeça não funcionou como havíamos pensado. Isso significava que tínhamos de pedir ao designer para adaptar as calças de ganga, reimprimir alguns componentes e solicitar ao carpinteiro para ajustar o armário.
    • Um tópico - no nosso caso, a produção têxtil - tem muitas facetas. Tentámos tocar em todas. Isto não é recomendável. Tente escolher apenas um aspeto do seu ponto de interesse.

    Comentários dos visitantes

    Análise em curso

     

    Links da Internet + outras fontes

     Campanha de Roupas Limpas:
    www.cleanclothes.org (último acesso a 2014/06/02)

    Campanha de Roupas Lindas: Salários na Ásia
    www.cleanclothes.org/livingwage (último acesso a  2014/06/02)

    Campanha de Roupas Limpas  (2012): Deadly Denim – Sandblasting in the Bangladesh Garment Industry
    www.cleanclothes.org/resources/publications/ccc-deadly-denim.pdf (último acesso a 2014/06/02)

    Campanha de Roupas Limpas  (2013): Breathless for Blue Jeans. Health hazards in China's denim factories
    www.cleanclothes.at/media/common/uploads/download/breathless-for-blue-jeans-health-hazards-in-china-s-denim-factories/Report_Breathless_130703.pdf (último acesso a 2014/06/02)

    Iniciatica de Comércio Ético:
    www.ethicaltrade.org (último acesso a  2014/06/02)

    Fairtrade Labelling Organizations International, e.V:
    www.fairtrade.net (último acesso a  2014/06/02)

    Fair Trade Center (2012): Still fashion victims? - Monitoring a ban on sandblasted denim
    www.fairtradecenter.se/sites/default/files/English version_Still fashion victims Monitoring a ban on sandblasted denim (2012)_0.pdf (último acesso a 2014/06/02)

    FairWear Foundation:
    www.fairwear.org (último acesso a  2014/06/02)

    Global Organic Trade Standard:
    www.global-standard.org (último acesso a 2014/06/02)

    Greenpeace (2012): Toxic Threads. Putting Pollution on Parade
    www.greenpeace.org/international/en/publications/Campaign-reports/Toxics-reports/Putting-Pollution-on-Parade/ (último acesso a 2014/06/02)

    International Labour Organization (ILO):
    www.ilo.org (último acesso a  2014/06/02)

    Worker Rights Consortium:
    www.workersrights.org (último acesso a 2014/06/02)

    Este website é cofinanciado pela União Europeia e apoiado pelo Camões - ICL. Os conteúdos deste website são da exclusiva responsabilidade dos parceiros do projeto Museu Mundial e não podem, em caso algum, ser considerado como expressão das posições da União Europeia.


     EU